O professor de psicologia, Robert Cialdini, estudioso da arte da persuasão há mais de 30 anos, afirma que influenciar pessoas não é mágica ou dom, mas ciência.

A boa notícia é que se saber usar a persuasão com maestria, nada tem a ver com talento natural para lidar com pessoas, ou até mesmo com técnicas obscuras de manipulação, significa que todos nós podemos aprender a usar nosso poder de persuasão.

E sem precisar ser político ou vendedor para isso. Podemos simplesmente aplicar esses conhecimentos em nosso dia a dia. Desde que haja conhecimento e treino, claro.

Você nunca se questionou porque existem pessoas que parecem ter nascido com carisma, que encantam todos que conhecem e conseguem convencer todos a seu redor sem muito esforço?

E que essas mesmas pessoas geralmente são mais bem sucedidas em seus negócios ou trabalhos?

No entanto, não fique ai pensando que você não terá essa mesma chance porque não tem carisma suficiente ou habilidade de chamar atenção do público.

Você também nasceu com essa capacidade, ainda que não tenha consciência, certamente já precisou influenciar outros a fazerem algo. Mesmo sem perceber.

Portanto, pare de acreditar no mito do carisma, da sorte ou da extroversão extrema.

Você não precisa de nada disso para começar a usar sua persuasão.

Porém você precisa de muito conhecimento. Leia todo material que puder a respeito.

Então, vamos começar pela parte do conhecimento.

Nos comportamentos de forma bastante parecida, seguindo determinados padrões de comportamento já internalizados. Sequer nos damos conta de muitas coisas que fazemos.

E esse é uma espécie de mecanismo de defesa do nosso cérebro, em especial quando precisa tomar decisões rápidas.

Leia mais:  Por que gostamos TANTO de seriados (e de serializar as coisas)?

Por exemplo, gostamos de estar ao redor de pessoas que possuem um talento com outras pessoas. Aquelas que consideramos populares.

E este tipo de atitude é comandada por nossa mente, ainda que de forma inconsciente e seguindo o instinto de sobrevivência, pois por sermos seres extremamente sociais consideramos importante saber exercer influência em outros.

A motivação é completamente egoísta. Buscamos estar do lado de certas pessoas apenas porque elas podem nos trazer alguns benefícios futuros.

Podemos concluir que as pessoas no geral só vão se interessar por você e pelo que você tem a dizer se isso representar alguma vantagem para elas. Caso contrário, você será completamente ignorado(a).

Esse mesmo sistema de avaliação dos outros é usado por nosso cérebro para decidir quais ideias são válidas para serem divididas com o resto das pessoas.

Persuasao-02

E foi justamente isso que este estudo feito pelo departamento de psicologia da Universidade da Califórnia descobriu.

Um grupo de estudantes foi separado em duas categorias: os que iriam assistir uma série de programas piloto para TV e escolher quais seriam produzidos pelo outro grupo, o dos produtores.

Enquanto assistiam e gravavam recomendações dos pilotos para o grupo de produção, esses estudantes tiveram sua atividade cerebral monitorada.

Os produtores tomariam a decisão de qual piloto produzir baseados apenas nos argumentos dos alunos que haviam feito as sugestões.

E os pesquisadores acabaram por descobrir que, ao acreditar que tinham uma ideia que valia ser compartilhada com os outros, o cérebro dos participantes do primeiro grupo ativava uma determinada área chamada de junção temporoparietal, responsável por fazer o processamento de informações obtidas tanto dentro quanto fora do nosso corpo.

Leia mais:  The Next Web: Ativação de marca Takeway.com

Seria nossa habilidade de tentar adivinhar quais os pensamentos e sentimentos de outras pessoas.

E sem surpresa, os estudantes que mais conseguiram convencer o grupo de produtores foi justamente aquele que mais ativou essa parte do cérebro.

A persuasão não é apenas influenciar outros a fazer o que você acha relevante, mas sim o quantovocê acredita que aquela informação que você está passando será de fato útil para quem recebe.

E não se engane: todos nós conseguimos perceber quando estamos sendo manipulados. E isso nunca dá certo a longo prazo.

Portanto confie na ciência da persuasão e estude muito para aprender as famosas técnicas desenvolvidas por Robert Cialdini e totalmente baseadas em princípios da psicologia.

Essas técnicas nada mais são do que o perfeito entendimento de como podemos desenvolver nossa habilidade de nos comunicar com outras pessoas ao ponto de estarmos aptos a influenciar suas decisões.

Os princípios básicos como autoridade, reciprocidade, conexão, comprometimento, escassez e prova social, se internalizados de maneira correta, podem provocar resultados consideráveis em seu blog ou site.

Espero que tenha persuadido você a investir mais no seu poder de persuasão.

 

VIA