O loyalty marketing ainda pode não ser um termo tão falado no mercado de incentivo, mas com certeza você já utilizou ou conheceu alguma ação de relacionamento que se baseia nesse conceito. O Loyalty segue três pilares básicos – captar, reter e fidelizar – para construir uma relação duradoura com clientes, que podem ser tanto o consumidor final (B2C), quanto a cadeia produtiva, colaboradores, parceiros e equipes de vendas e distribuição, como é o caso do Loyalty B2B.

Umas das aplicações mais populares de loyalty marketing é realizada pelas companhias aéreas. Se você viaja de avião mais de uma vez por ano, as chances de estar participando de algum programa de milhas ou programa de fidelidade são grandes. Esse exemplo consegue ser bem amplo, pois as iniciativas de relacionamento incluem as empresas aéreas, os usuários e as operadoras de cartão. Sendo que as companhias podem, inclusive, criar ações de engajamento com as operadoras; estas, por sua vez, podem atrair os viajantes e assim por diante.

Loyalty marketing ao longo das décadas

Os programas de milhagem causaram um alvoroço no mercado de Loyalty B2C nos anos 80, ganharam força na década de 1990 e tornaram-se populares em 2000, com a possibilidade de utilizar a internet para atrair e se comunicar com os participantes.

Assim como as ações de fidelização de clientes de companhias aéreas, o próprio conceito de loyalty marketing passou por evoluções nos últimos anos até chegar ao Loyalty 3.0, que une o estudo da motivação humana com a análise inteligente de dados e os recursos inovadores de atração e fidelização, como a Gamificação. Na ponta dessa escala evolutiva ainda temos o Loyalty as a Service (LaaS), a combinação do Loyalty com Software as a Service (SaaS).

Loyalty marketing B2C e B2B

É muito comum que o loyalty marketing seja aplicado também por empresas de varejo em programas de incentivo B2C. Porém, já mostramos aqui no blog que o loyalty marketing também pode trazer grandes benefícios para o mercado B2B (relembre o case da Sirona de estratégias de relacionamento com clientes). Quanto mais canais, distribuidores, representantes ou franqueados estiverem engajados com uma organização, mais facilmente as metas de vendas serão atingidas.

O fato é que, hoje em dia, apenas conquistar novos clientes e vender não é o suficiente. Garantir a satisfação é importante, mas isso pode acontecer em uma única transação, para nunca mais se repetir. Engajar é algo muito maior: é fazer com que o público-alvo tenha a sensação de pertencimento, que passe a nutrir uma percepção positiva de marca.

Hoje em dia é difícil criar estratégias de loyalty marketing sem o desenvolvimento de um programa de relacionamento e incentivo. Para isso, é importante estar apoiado por tecnologias capazes de gerenciar o comportamento dos usuários e medir resultados. Saiba mais sobre as ferramentas certas para uma campanha de incentivo.